sexta-feira, agosto 11, 2017

Confissão

A gente tinha tudo.
Ou pelo menos foi isso que você me fez acreditar.
Ou foi o que eu me fiz acreditar.
Não importa mais.
Estávamos nós dois lá
e não havia dias ruins.
Não.
Sem dias ruins quando nós estávamos lá.

Os beijos eram mel,
e o fel foram os meus erros
e o seu desleixo.
Como uma infestação de sarna
que no inicio não era nada,
só coçava a ideia
de que talvez
nós tivéssemos pego a estrada errada.
Ainda assim a nossa jornada.

A gente termina e fica esse gosto na boca
de paixão que azedou, que venceu.
O que eu aprendi te amando ninguém tira de mim,
se a nossa convivência morreu aqui,
tudo bem, não é o fim,
a história mora no que eu recordo
eu não preciso olhar pro teu rosto,
pra lembrar do êxtase
quando o teu gosto
era o meu gozo e o teu cheiro
era o perfume dos meus cabelos
e o teu fim era o meu começo,
a ponta dos teus dedos
procurava o meu recheio
e encontrava um amor
que era alguma coisa
que era de verdade
e que se acabou agora
e que tudo bem,
porque tudo tem sua hora.

A gente teve fim, meu bem.
Acabamos como qualquer casal,
a gente que sempre quis acreditar que era especial,
mas éramos só "mais uma de amor",
e vai ficar tudo bem pra nós dois.
Vão ter outros amores,
com dores de outros tamanhos
e alegrias com outros sabores.
E eu desejo que alguém te faça muito mais feliz do que eu te fiz,
porque eu quero isso pra mim também,
eu quero ir além do nosso amor
porque acabou, meu bem, acabou
e nós não fomos melhores do que ninguém.

Um comentário:

Lea Deon disse...

Maravilhoso. Parabéns!