sábado, julho 01, 2017

Cinzeiro

Eu não tenho gavetas
nada aqui está organizado
meus desejos e anseios
lado a lado
aos achados e perdidos
de uma vida ao acaso.

Nada está dobrado,
mas tudo está limpo,
eu não acumulo sujeira do passado.

Revirando essas coisas,
vejo lágrimas.
E eu me lembro de todas
muito mais do que me lembro dos sorrisos.

Eu sou como fogos de artificio,
depois do show,
fica só o cheiro de pólvora.

E eu que sabia de tudo,
não sei de mais nada.
Repenso cada detalhe
e eu não encontro solução.

Eu queria ver o futuro
mas tudo que eu vejo
são os filtros dos cigarros
que eu fumei desde que você se foi.

Eu me sinto um cinzeiro de emoções que não queimam mais.
Eu preciso reacender.

Nenhum comentário: