segunda-feira, novembro 30, 2015

Je suis

Hoje eu respiro pesado,
como se no meu peito tivesse aprisionado
um sentimento maior que a minha consciência,
como se inconscientemente
eu estivesse desde sempre
apaixonada por você.

Hoje eu queria chorar,
mas eu não sei porquê,
eu queria me fazer entender
sem lhe falar
só de te olhar
fazer você saber
que eu sou o mundo em chamas
e a paz que chama
o cheiro de bolo
e a ferida que inflama.

Eu sou todos os caminhos
para o mesmo destino.
E eu sou todos os meninos
que não gostaram de mim.
Eu sou o pai que morreu,
a mãe que cedeu,
o avô que acolheu.
Eu sou a tristeza do meu irmão
e eterna sensação
de que eu estou para sempre fadada
a não saber como o ajudar.

Eu sou a minha avó me esperando no aeroporto
e me falando que há algo errado com o meu corpo.
Eu sou a bagunça do meu quarto
e o ônibus atrasado
e quando menos se esperar
eu sou um feriado prolongado
sem nenhuma preocupação
eu sou a areia,
o mar,
o sol
e um picolé de limão.

Eu sou gigante
infinita
inimaginável,
eu sou a casa de espelhos
em um parque temático
e ainda assim
você parece querer
me conhecer
por todos os meus lados,
em todos os seus abraços
com seus mil braços
sempre prontos pra me segurar
toda vez que eu tento sabotar
tudo que eu sinto por você.

No que depender de mim,
eu não vou deixar você se perder.





Um comentário:

Marcus Vinicius :) disse...

uma das coisas mais lindas que já li.