quinta-feira, maio 10, 2012

Névoa, Abraços e Chá.

Um sorriso que eu sorri com medo. Você que eu gostei em segredo. Um beijo beijado sob os ramos frondosos e chorões de um salgueiro.  Uma noite que eu guardei embaixo do travesseiro, guardei só pra lembrar de como a luz da lua se perdia em névoa e abraços. Uma daquelas noite que faz a vida ter gosto de filmes em cartaz no século passado. 

O vento já não cortava.
Isto é chá sem açúcar para as boas almas: puro e virtuoso.