sábado, fevereiro 26, 2011

Peanuts.

Eu tenho a sensação de que meu tudo tem pernas torneadas pela dor de um amor abstrato e desconhecido que invade incolor as paredes do meu coração e me faz pedir perdão por deixar existir tamanha aberração. Dentro dos meus olhos transparentes manchados de um castanho aborrecido que pede por um pouco de atenção ainda existem retratados pintados de um você e eu que não existe mais. Pode parecer que escrevo agora como se eu me arrependesse de ter te deixado moldar meus recortes mais profundos, mas tudo que eu procuro em minhas palavras é recobrar a paz que eu achava em escrever teu nome ao lado do meu num pedaço de papel rasgado. Muitos dirão que faz tempo, mas nem todo o tempo do mundo salvaria minha essência do meu peito afogado em mágoas, de meus seios afundados em abraços mal dados, dos meus lábios pressionados contra mentiras de uma noite só. O tempo não cura o que teus dedos cravaram sem dó em minha alma, o tempo não sara os cortes delicados que você fez em meus sonhos, o tempo não repara os danos que a tua mascará fez ao meu rosto sempre sorridente para tuas mentiras sempre sinceras. Meus ouvidos ainda recordam os diálogos infindáveis que por fim terminaram. Eu e você éramos destinados a ser e eu acho que nós realmente fomos.



                                                                                                   
"E porque você escreve?"
Perguntou ele, que a reinava absoluto
nos dias em que ainda havia algo a
se salvar daquela coisa deles dois.
Ela, que  ainda não sabia que aqueles
seriam os dias que ela sentiria falta
pelo resto da vida, respondeu
sem dúvida alguma

"Pelo Sol queimando
tudo dentro de mim"


Sou Sol ou eu? 
  

25 comentários:

Í.ta** disse...

escrevemos pelo que arde na gente mesmo.

teu texto ficou com um ritmo muito muito bom!

há algo de músicas no um-sentir :)

abraços!

Anônimo disse...

Texto excelente, Fer! Maturidade de vocabulário, construções de uma força imensa. O que você escreve me surpreende a cada dia. Difícil dizer se gostei mais dos "olhos transparentes manchados de um castanho aborrecido que pede por um pouco de atenção", de "meus seios afundados em abraços mal dados, dos meus lábios pressionados contra mentiras" ou de "E porque você escreve? Pelo Sol queimando tudo dentro de mim". Para dizer pouco, digo que ficou faboluso.
Parabéns, Fer!
Fernanda Nogas

verônica hiller. disse...

"entro dos meus olhos transparentes manchados de um castanho aborrecido que pede por um pouco de atenção ainda existem retratados pintados de um você e eu que não existe mais."



pela primeira vez na vida, ando me identificando com tuas palavras. nem há o que dizer, pareceu tudo saído de dentro de mim, está perfeito, sob todos os aspectos.

Alicia disse...

sou sol eu
sou só eu

que letras lindas vc pôs para dançarem.

muito bonito.

Viagem Sem Retorno disse...

Gostei...

Aproveito para deixar o endereço do meu blog http://viagemsemretorno.blogspot.com/

PR" disse...

:) muito obrigado!

Adorei. Completamente!

vera disse...

pois, eu ainda não o vi, tenho aqui para baixar :)

Priscila Rôde disse...

"O tempo não cura o que teus dedos cravaram sem dó em minha alma..."

Isso foi belo demais, moça!

joana Δ disse...

obrigada :)

luisinha disse...

liindo

Adriana Antunes Polak disse...

...o que parece ser é algo mais que palavras: música! Com uma melodia criada por quem lê, mas com as maravilhas das suas palavras.

Bjos.

Fátima disse...

Menina linda, agradeço a visita na Maraláxia.
Que lindo o seu texto...
"Eu tenho a sensação de que meu tudo tem pernas torneadas pela dor de um amor abstrato e desconhecido que invade incolor as paredes do meu coração e me faz pedir perdão por deixar existir tamanha aberração. Dentro dos meus olhos transparentes manchados de um castanho aborrecido que pede por um pouco de atenção ainda existem retratados pintados de um você e eu que não existe mais."

É assim mesmo, quantas vezes "desejamos" e nos deixamos levar pelo desejado.
Não se arrependa por ter deixado moldar seus recortes mais profundos.
Transparência é tudo nesse mundo.
Eu também sou assim...
E procuro, em mim, palavras!
Não só para a paz recobrar.
Mas, para desabafar.
Escreva, desabafe...
Não guarde mágoas nem rancores.
Você é linda... Virão novos amores!
Minha poeta menina, a mentira existe
e são tantas...
Sempre desencanta!
O tempo não cura ?
Pois é, perdoa-se mas não esquece!
Por melhor que seja a prece é assim que funciona.
Os sonhos femininos são rasgados
por cortes grosseiros ou delicados, decorrentes dos falsos amores.
O tempo repara... repara sim!
Acredite em mim.
Com carinho
um beijo
Fátima

joana Δ disse...

pois faz, muito bem :)

béc's. disse...

não propriamente, na minha opinião a fragilidade não é força: é o contrário!*

Evelyn Colaço . disse...

Acho que eram pra ser, e foram, foram, e ...

Bom mesmo, é se idetificar com cada ato de cada palavra decorrida.

Estou seguindo.

Jorge Pimenta disse...

querida amiga,
a terra queimada ajuda a renovar os solos que, assim, hão-de rebentar mais saudáveis e vigorosos. quanto ao tempo... deixá-lo lá. que a memória nunca o apague.
um beijinho em chamas!

Alice disse...

Nossas palavras nem sempre expressam o que sentimos,fato...Pois embaralhamos os sentimentos,quando na verdade dizer que sentimos falta e que o passado persiste em nós é tão dificil,afinal ele tem o seu tempo e lugar .

Daniela Filipini disse...

É possível responder a "Por que você escreve?". Eu não sei se saberia. Poderia tentar, mas pessoa jamais entenderia. Para isso, ela precisaria escrever. E se ela escrevesse, não perguntaria.

Lindo.

Erika Santos ♥ disse...

ahh que coisa mais linda seu cantinho anjo...
estou seguindo..
espero sua visita no meu cantinho tbm..
tenho as fórmulas do coração. haha

bjos querida..♥

gabs. disse...

eu adoro o que você escreve.
não sei se foi você que me achou, ou se fui que te achei. sei que sumir de ler aqui me dói de remorso sempre que eu volto.

Kamilla Rodrigues disse...

ai que lindo *-* vc escreve muito bem.
beijos
http://doceoutravessuras.blogspot.com/

Ph disse...

Ficou muito bonito, a história, a cadência...
Beijos!

dear sarah disse...

Ai Fê que saudade daqui tambem..
por isso somos seres totalmente fora do normal, pois escrevemos!


escrevemos pois nosso coração pulsa essa vontade,
jamais perca isso em ti ta?

bjs!

Anônimo disse...

lindo.

PR" disse...

"Eu e você éramos destinados a ser e eu acho que nós realmente fomos." :)