segunda-feira, maio 10, 2010

Talvez, talvez, talvez.

      Nós não somos os mesmos, não somos nem parecidos, não temos mais os antigos princípios que inicialmente faziam toda a diferença. Crescemos como um quebra cabeça e então chegamos ao ponto em que eu não preciso mais de você e você não precisa mais de mim. Éramos crianças, mas de que adianta já não ser quando o que somos é simplesmente assim. Não digo nada sobre fardos, não falo de destino, não falo de promessas. Mas o que aconteceu conosco foi fatal. Um quebra cabeças não é nada sem todas as peças, e em pedaços é como estamos agora que separados. Nós seríamos invencíveis juntos, o mundo seria o tapete da sala de estar e nas paredes haveriam as fotos que nós nunca chegamos a tirar.
      A verdade é que não adianta chorar em cima de cartas que você irá perder e não adianta você se desculpar, afinal eu já te desculpei, e não falo daquela outra vez na qual eu passei  a ser sua sombra, viver das tuas mentiras e respirar seu cheiro dócilmente alcoólico. Falo realmente sobre o agora, não que eu não o odeie, mas eu realmente te amo o suficiente para não deixar isso influenciar em como eu te vejo.
      "Garotos perdidos, almas vendidas, café requentado e aquela música de sempre no rádio."  Você é perfeito, completo. O único problema é que você me enche o saco com toda essa história de tudo que você acredita e quer. A questão é o que eu acredito, o que eu quero, o que eu espero, como eu me sinto. Egoísmo, sim, egoísmo. mas você sempre soube que eu era asim.
      O que eu sou em fronte aos teus olhos me afetaria mais se eu tivesse mais tempo pra olhá-los desde que ela voltou. O que nós éramos no último verão quase me matou, éramos tudo e você simplesmente não deu mínima. Muito bem feito, meu amor. Agora que me é verdade que você nunca foi homem pra mim e eu nunca quis que o fosse, eu devo ir. Seguir em frente e olhar pra trás só pra ter certeza de que não cometerei os mesmos erros que me levaram do paraíso ao inferno em um par de palavras, uma frase não pensada. Seguir em frente com ou sem estrada.
     Eu espero que isso queime um buraco dentro de você, que a minha falte nunca seja suprida, que o meu amor nunca mais seja encontrado. Eu espero, do fundo do meu coração, que você sofra e quase morra quando não houver mais nada e ninguém ao seu redor, pois só então você me verá como eu devo ser vista e então eu o salvarei.

 Adiós

     

10 comentários:

Mayana Carvalho disse...

Parece o plano perfeito de um coração quebrado.. ameei.

camila souza. disse...

o blog ta lindo (:

Leni disse...

Adorei seu texto...mas não creio que seja egoísmoseu. Apenas a sua forma de viver, o seuponto de vista!
E você está precisando de u outro encaixe perfeito p vc, que aceite "viver"c omo você. Aceite pelo menoss o seu modo de pensar.

lorrayne t. disse...

O coração quando quebra solta um ácido que corrói os sentimentos, mas no fim é bem libertador.
Adorei o texto (:

O meu singular disse...

Lindo blog....
Amei.....
to seguindo!
Passa la no meu!
http://omeusingular.blogspot.com/

Sara Santos disse...

gostei :)

Malaguetta disse...

o problema maior,eh nao saber oq pensam as pessoas =/

Luana H. disse...

ADOREI!
Como eu já te disse, você escreve tudo que o meu lirismo comedido não me permite.

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Parabéns, adorei a maneira como lidou com as palavras, isso se chama dom!

Abraços Imundos.

lu trevejo disse...

Lindo o blog,e sobre o texto...
relacionar-se é dar a cara a tapa e sabemos que ao longo do caminho pessoas inevitavelmente nos machucarão. O que nos resta então, é escolher quem serão essas pessoas.
Vou seguir voce.