segunda-feira, outubro 12, 2009

Frank Love.

Me desculpem se mudei, mas eu mudei.
Me perdoem se não falo com a mesma emoção e intensidade.
Isso tudo se internou em mim,
interno o suficiente pra que tudo que se veja seja realmente visto.
E não que isso não seja sentimento ou nem ao menos sentido,
Porque eu ainda sinto aquele desespero de quem quer se iludir.
Só que eu já não consigo te deixar a sós comigo dentro de mim,
te deixar se transformar num cheiro, te deixar ser meu abrigo.
Eu preciso de mais que essa verdade.

Vamos ver até onde dura toda a nossa eternidade.

_
Felicidade e surpresa.
Um brinde ao acaso.

21 comentários:

- ana - disse...

Belo texto menina, é fato que nem sempre a mudança nos faz bem.
Mas a solidão pode ser bem melhor que a compania de certas pessoas.
obg pelo comentário.

;*

Lua disse...

"Vamo ver ate onde dura nossa eternidade" Adorei!

E eu vim aqui por vc usar o mesmo 'name' nas postagens que eu e acabei gostando.

Boa sexta-feira, beijo!

Erica Maria disse...

Ah, lindo seu canto.

Obg pela visita*

Bjos*

Anita Vicious disse...

A necessidade de ter alguém ao teu lado...mesmo que seja para um abraço mal dado.
É assim, sempre nos contentando, sempre na expectativa do que viráno tal do "amanhã"...

Brenda Maciel disse...

Nossa! Entrei no teu blog sem ter ideia do quão bonita seriam tuas palavras!
Muito bom mesmo.
Tiveram partes da prosa que me lembraram os poemas de Alberto Caeiro, onde ele só via a simplicidade como aquilo.
Não era nem uma ciência, era só a simplicidade mesmo, sem ideologias e nada.
A diferença é que você escolheu ver esse simples por estar fatigada. : ) Beijos

Daniela Filipini disse...

A verdade é que o pra sempre sempre acaba, e que quando o citamos demais, ele parece chegar mais rápido...

[M]. Atahualpa disse...

É tudo uma questão de disponibilidade.

Olga disse...

gostei do post :) aliás, adorei a foto que você colocou no seu perfil.

http://velhocuringa.blogspot.com
obs: comece a ler do primeiro post.

B. disse...

é tudo tão volatil,não me sinto a mesma e sinto falta do que antes era!
mas sinto façta do que amanha serei,e isso consome mais do que energias.

Elisa Mucida. disse...

"Vamo ver ate onde dura nossa eternidade"

UAU, que texto PERFEITO. Principalmente esse trecho...

Lindo, lindo, parabéens mesmo..
beeeijos e to seguindo o blog

W. Allen disse...

Parabéns! =)
Seu blog é muito interessante,dei uma vasculhada nele, textos muito bons.
Obrigado pela visita.

Beijos.
=D

' Ireth Isilra disse...

' todo mudança é valida
quando o interior se sente compensado!

=)

Fran.ciellen :) disse...

Mudança, na medida certa, faz bem. Talvez eu tenha mudado assim tb.

Lindo, lindo, lindo.

Carolda disse...

"Felicidade e surpresa.
Um brindo ao acaso."
Pois é, lindo.
Um brinde ao amor (:
Beijo

_viiih disse...

isso sempre acontece neh..
as coisas acontecem sem nossa autorização, simplesmente ocorrem e mudam o interior florido.
ficamos frios e sem vida por dentro.
nao importa oq ocorra.. sempre mudamos com as estações.
também gostei do teu texto ;]

Sopa disse...

bom, Lua, parabens pelo blog e pelos seus textos, acompanho a um bom tempo;

te indiquei selos, passa lá no blog
http://alumiina.blogspot.com/

Luana H. disse...

Como diria Claudio Zoli: Um brinde ao destino.

Beijo, flor.

Katrina disse...

E um brinde ao que é bom!

B; disse...

UM BRINDE AO ACASO!!
Que ele permita que a gente se iluda mais vezes, se decepcionando menos no final...

Luana H. disse...

Não sei se é bom ou ruim ter se identificado com o meu texto. Eu me sinto honrada em saber, mas acho a situação agoniante.

Beeijo.

Eric Frantto disse...

Um brinde ao acaso, então, ora bolas!

Graça...