terça-feira, julho 21, 2009

Observe.

Ela rolava na cama, e implicava com o travesseiro. Olhos fechados mas ainda acordada, uma música soando em fundo aos seus pensamentos que não iam muito longe ao que aconteceu naquele dia, ao que ela faria no dia seguinte em que provavelmente não faria nada do que pensara na noite passada. Ela havia confiado demais e ainda estava assustada com tudo que havia visto e sentido, para quem sempre assustou, agora era ela que estava recuando, mantinha um olhar furtivo e para aqueles que olhassem um pouco mais pareceria até um tanto desesperado.
Ela rolava na cama até os olhos fecharem suaves como se tivesse sido apenas um dia qualquer.
No dia seguinte o olhar estava desesperado até pra quem não olhava. As mãos passavam compulsivamente pelos cabelos e os dentes mordiam os lábios pra não falar tudo aquilo que estava preso na lágrimas que não caiam mais. Que secaram no coração e racharam o canto dos olhos que as seguravam firme. Olhos de quem não queria mais olhar.
E não importava o quão indignada ela podia ficar, as coisas ao redor não faziam questão de mudar, as pessoas ao redor não faziam questão de ajudar. Dentro dela estava seco e cinza, não havia mais ar algum pra respirar, do forte e estagnante para a escassez completa. Ela perdia o tom sem nem mesmo falar, ela olhava para o chão, e olhava para frente, mas ela realmente não via o que precisava para se sentir bem. Não havia nada bom, não havia nada ruim. Existia o passado imutável cercando-a em cada fato do agora, não existia futuro, não ali onde ela estava. Ali naquele lugar sem ar e com aquelas pessoas que não respiravam pra não se machucar, que evitavam qualquer olhar. Não ali, onde as lágrimas queriam cair e ela não sabia se queria chorar.
Nunca soube quem era, mas sempre teve certeza da onde queria chegar e agora sem objetivo ela lutava para não se desmanchar em lembranças do lugar que acabava de deixar.
de noite, ela estava de volta rolando na cama, deixando a música em sua cabeça ser tudo que ela conseguisse se concentrar.

29 comentários:

C.Weber disse...

Senti-me na pele desta menina, o que mais faço é pensar, no caso, em tudo. Foda é perceber que ela sentiu a angústia de perto, e não sabendo o que fazer, deixou-se mais angustiada. Independente da música que rolava no pensamento, deixou a entender que estava relacionada com algum amante, não sei por que pensei neste ângulo, porém há de ter um sentido óbvio. E só de querer deixar as lembranças ligada na mente, foram boas, até que ao fim do dia voltou com os mesmos pesamentos.

Juliana Pate disse...

Oi Lua, tô vendo q vc tbm gosta mto de estampa de oncinha!
bjs

[M]. Cartágenes disse...

Esses "desertos da vida", aparentemente são insuportáveis, mas se acontecem e porque podemos suportar! ^^

De qualquer forma, saimos melhores desses desertos!

Paz.

Desi disse...

Oi, Lua :)
por problemas de ordem doméstica não consegui te responder ontem, mas fico feliz que tenha gostado e há adorei o teu texto, em certos detalhes ele cabe muito bem, venho mais vezes por aqui.

beijo e bom final de semana!

Mayana Carvalho disse...

Senti o desespero por ela!
Beijos

Bia disse...

Oi flor!
Estou aqui para divulgar meu bazar, o Estilo Bazar, sou nova aqui nos blogs.
Dá uma passadinha lá para ajudar e dar uma olhadinha (vai que você se interessa por algo, né?).
ah, e ainda tenho muuuitas coisas para postar, então as atualizações serão bem frequentes ;)
se puder linkar, me avise para eu poder retribuir!
beijão e muito obrigada!
(se já te mandei esse comentário, por favor me desculpe)

http://estilo-bazar.blogspot.com/

Daniela Filipini disse...

Ja me senti assim, e acho ela forte como eu não soube ser, a invejo pela coragem de nada falar!
Muito bonito aqui, lindo!
Ótimo domingo. Beijos.

B. disse...

No começo estava tundo embaralhando em minha mente,mas o final esclareceu,deu uma anbsia de chegar o fim logo,pra ver o desenrolar da historia!

B; disse...

Eu tenho esse problema de pensa e planejar uma coisa, e faço tudo diferente =(

Carolda disse...

é, tenho sérios problemas em sonseguir me concentrar numa coisa só e ficar ali por muito tempo.
E vc descreveu muito bem a situação, deu pra sentir o desespero dessa menina.
Beijo

Karoline disse...

texto lindo *-*

No começo estava tudo embaralhando em minha mente,mas o final esclareceu,deu uma ansia de chegar o fim logo,pra ver o desenrolar da historia!

^
o que eu iria falar também.

adenilson disse...

legal o texto
bm transparente e simples..
e esses vazios são comuns.
bola pra frente

o mundo dá voltas como jah dizia Gullierd samphard ¬¬

grande abraço.
ótima kuarta
fds tá batendo na porta jah xD^
eu demoro, mas apareço
xD^
www.bocadekabide.blogspot.com

meldosol disse...

Oi Lua!!!! Eu adoro a lua...
Adorei tudo, e gostei muito do nome do seu blog! Eu também adoro borboletas (risos).
Fique a vontade, se jogue no meu blog, ele está lá pra quem lê, na verdade faz bem pra mim, mas fico bem feliz em saber que faz tanto ou mais bem ainda pra quem lê e está lá sempre diariamente me acompanhando. isso não tem preço, né?
um beijo grandão.
Mel

Sofih disse...

Tem um momento do desespero que todos os sentidos se perdem, só se enxerga o objetivo e não se sente mais nada...
Beijos =)

Tiffany disse...

eu desisto de enetnder a vida.
ela sempre trás esses momentos de morbidez pra nós... não aguento mais!

Desi disse...

oi Lua, só pra avisar :)
hoje eu to lá no blog Kerou, o E-Glam: e-glam.blogspot.com

tem entrevista e tudo mais, passa lá!
beijoos!

Patricia disse...

Ah que texto lindo!! Vc msma qm escreveu? Amei.. Quero ler outros assim XD
Beijo

Daniela Filipini disse...

Liiindo post *-*

Anna disse...

Por um momento essa angústia passou pra mim. Por um momento só, felizmente.
Beijos

Polly disse...

Já me senti como ela...


(www.pollyok2.zip.net)

Cih disse...

Primeira vez aqui e dou de cara com um post lindo desse... eu sempre viajo pensando na vida,ouvindo música então pior,passa um filme na minha cabeça!
beijos

Rafael disse...

Rolar na cama é bom. É um esporte muito saudável.

'-Kelly Viana' disse...

ai que profundo!

já estive na pele dessa menina,
ouvia a música e pensava NELE!
BJoO!

Gabriela M. disse...

bonito.

e deixar a música rolar é tão cool, neám?

eu acho. eu gosto.


obrigada pela sau visita :D

Luana H. disse...

Tô vivendo isso.
Mas eu achei o que me tirou o cinza do peito... A possibilidade de acontecer algo novo. Tudo muda o tempo todo. Por que não para melhor?
Otimismo sempre!


Beijão, flor.

Vitor Machado. disse...

Meus parabéns. Muito bom mesmo, Lua! Profundo e constantemente interessante. Você é uma ótima poeta. Parabéns. Continue assim!

CooKie disse...

OMG!
lindo, de uma forma triste

eu particulamente acho a tristeza um sentimento liindo mesmo de se descrever apesar de td...

é...
lindo mesmo!

dhi disse...

Surpreenderei você. Parabéns novamente, que beleza. Seu trabalho é uma obra de arte!

Cind disse...

Garota vc tem um dom muito lindooo... vc consegue se expressar...
keria eu ter o dom de escrever assim!!!
Parabens!!! sem conta, que em a maioria dos seus textos eu me identifico... e num sei se isso é bom ou nao... bom! agora tudo tanto faz mesmo...
Gostei viu!!!
se vc tiver msn me add la
Danielle.priscile@hotmail.com
Bjos