sexta-feira, março 27, 2009

Destrutível.

E é quase tudo que eu passei, que me faz ver tudo como eu vejo.

É difícil acordar de manhã e algumas vezes as expectativas tornam essa atividade voraz extremamente fácil. Mas é destrutível.
Ela acorda, acende a luz e está com o cheiro de ontem. O Halloween acabou e se esqueceram de tirar as fantasias. O suco de laranja na vodka torna tudo mais aceitável. Na rua um sol entorpece quem o atravessa. Ou atravessa que se entorpece.
Para na esquina, os carros passam e seguem a seus destinos. Qual é o destino dela? Alma solitária vagando lentamente a procura de entorpecentes que não queimem na garganta. A vodka ainda queimava. Andou sem rumo, seguiu o sol, o céu azul bonito, profundo, limpo. Ela suja de alma, com o corpo cansado e uma feição triste. Só estava mais viva que a calçada, enlameada da chuva, pela dor que sentia. Cansada das expectativas. Elas são destrutíveis! E ela pensava. São destrutíveis! São destrutíveis! São destrutíveis! São destrutíveis! São destrutíveis!

- Minha nossa, são destrutíveis! - falou para si mesma quase como numa fração de tudo que queria berrar.

Ela não poderia fugir das expectativas, não poderia evitar o que era evidente, não haveria saída, era encarar até o final ou deixar tal a cegar. Mas e o final? Onde é final? Se acaba no final? Onde tudo começou? Ela parou. Ela sabia onde tudo havia começado. No fim do última, destrutível, expectativa. Mas ela não sabia o que havia começado ali. Um vicio no começo, movido a desilusão, movido a passado. Agora o que? O fim?

Não podia, não acabava ali.

Chegou na praça do centro e sentou-se em um banco ali. Não haviam lágrimas a se chorar, mas ela chorava! A fumaça que ia aos pulmões e saia pela boca a matava menos que toda aquela situação. Planejar seria em vão. Mas onde está o coração de quem se ama e este ao outro não?
Se come, então sofre. Se vê, então chora. Se machuca, então morre. É ser humano como ela.
Ela pensava. E dizia baixo, sussurrando só para a alma que sangrava ouvir: "É insano continuar, e besteira parar por aqui, vamos em frente. Deixar os cortes mais profundos."

_

Bom fim de semana!

10 comentários:

Flávia Batista disse...

hummmm...
n sei pq as veze a gente age assim né?!
sabe que algo está nos machucando, mas mesmo assim insisti em continuar...
opções!

beijao

[M]. Cartágenes disse...

A dor modela, faz crescer, criar aquelas crostas rígidas na pele preprando para alguma coisa futura!

"Self-Destruction"... Comungo disso constantemente, percebo me tornar mais sádico à cada tapa.

Belo texto, me senti em casa!

SaMm disse...

Insistir em algo que esta nos machucando ja virou ate rotina para nos.
amei o texto...

passa la no meu blog.

Bjooo

Bill Falcão disse...

Temos que seguir, Lua! Temos que seguir...
Bjoooooooooo!!!!!!!!!

Mary West disse...

A gente tem mesmo o costume de cavar o buraco cada vez mais fundo. Mas creio que é para testar até onde podemos ir.

Rafaah disse...

os textos do seu blog :)
beeijos :*

B. disse...

A dor faz crescer,os cortes,podem ser lembranças pro um futuro,ou talvea mais uma expectativa destrutivel,Tudo é uma questao de perpectiva,alguns cortes podem inflamar e não sarar,ou causam a morte.
Os meus to cuidando,porque estavam inflamados, de possibilidades e expectativas

Tataahzinha disse...

Oiiii! Meu blog mudou!
Agora é esse aqui: www.peripeciasdatatah.blogspot.com

Obrigada a todos que NUNCA me abandonaram e estiveram do meu lado mesmo depois do meu afastamento!
Quem me acompanhava, peço que acompanhem no outro e saiam do antigo tá?

e agora.. VAMO QUE VAMOOO que eu to de volta!
beeeijo

A n i n h a a disse...

O ser humano tem a incrível mania de insistir em aprofundar os cortes.
Eu sou uma dessas teimosas que mesmo sabendo que vou me machucar, vou lá e me enfio a faca até onde dá.
é tão ruim ficar perdida assim, né?


beiijos

Tataahzinha disse...

Oiiii! Meu blog mudou!
Agora é esse aqui: www.peripeciasdatatah.blogspot.com

Obrigada a todos que NUNCA me abandonaram e estiveram do meu lado mesmo depois do meu afastamento!
Quem me acompanhava, peço que acompanhem no outro e saiam do antigo tá?

e agora.. VAMO QUE VAMOOO que eu to de volta!
beeeijo