quarta-feira, fevereiro 18, 2009

Girassóis.

Depois de tempos sem olhar-lhe nos olhos, eles me pareceram venenosos. Ardentes. De dor, de vontades. O olhar dele pesava no céu azul ao fundo. O campo de girassóis não sabia que sol procurar. O astro rei ou o aquele olhar. Castanho intenso vagando lento em procura de um leito pra repousar. Era ele. Era eu. Nós estávamos ali, parados, olhando para o campo de girassóis abaixo de nós, deixando nossos medos fluírem, de mãos dadas abaixo de um céu que ameaçava cair, e abaixo de nós, todos aqueles girassóis estavam sorrindo para mim.
Meu cabelos longos se rebelavam com o vento que cantava e se agitava ao nosso redor, minha alma sofria. Eu não sabia como ele estava, ele sempre me parecerá indecifrável. O carro dele, vermelho escarlate, estacionado alguns metros atrás, fora a primeira coisa que me chamou atenção nele, era o retrato dele. E depois os olhos, aqueles olhos me faziam sentir coisas que não se podia explicar, que não valia explicar. Era lindo, inconfundível e eu não ameaçaria um coisa linda daquelas com as minhas teorias. Eu me sentei, e ele como que se confuso com a minha atitude demorou alguns segundos para se sentar também, quando ele se sentou, disse as primeiras palavras desde que havíamos chegados ali. Ele cantarolou uma canção dos Beatles que não me vêm o nome agora e olhou nos meus olhos, marcando ali um território que ninguém nunca mais conseguiria invadir. É impressionante que como desde o dia que nos conhecemos ele tem sido o alvo de meus sonhos. Os olhos, o sorriso, ou ás vezes é só a imagem dele, lá, no branco absoluto que meu coração criou pra repousar todo o amor que eu tenho por ele. Mas hoje, nós não estávamos nos meus sonhos brancos, nós estávamos naquele colorido das emoções que sentíamos, das coisas que temíamos, do céu que ameaçava cair e dos girassóis que sorriam para mim e nós não precisávamos usar das palavras para saber que estávamos ali porque éramos acorrentados um ao outro, que por mais que nos odiássemos nós nos amaríamos para sempre. Agora nós éramos fortes demais pra se render aos machucados que nós fizemos um ao outro no passado. E o tão dito passado passava agora em nossos olhos, e já não importava mais, pois acabara ali. E não acabaria nunca mais.

_

Um ótimo feriado.

24 comentários:

Fernanda disse...

Surpreendeu-me. Ponto.
E me transportou.



F. Nogas

Fernanda disse...

Ah, esqueci de escrever: ótima noção de unidade.

B. disse...

Me rendi ao seu texto.
de uma forma incrivel me envolvo,como num livro e sempre quero mais dos teus textos.
Tem momentos que fica dificil de se explicar,mas voce narrou muito bem.
NAO tema o passado,muitas feriadas continuam a doer,o que fazer se render a elas?Logico que nao.

Meu coracao e feito exatamente pra bater dar ele alguem foi estupido e descontrolavel,aprendi a licao.

Camila :) disse...

*.* muito boom mesmo!
ótimo carnavaal,

bejoos

Rafaah disse...

Lindo :)
bom feriao pra você também
beeijos :*

LADY DARK ANGEL disse...

RESPEITO SUA OPINIÃO
EU GOSTO D GIRASSOIS
AT + ]
BJOOOOS

Duanny!. disse...

que lindo!!
adorei.
muiiito perfeitoo.

=D

Amanda disse...

Oi...obrigada por acompanhar meu blog....se esta foto do seu perfil for você, então além de ter os hobbies ler escrever e desenhar em cmum, nós somos quase irmãs gêmeas..... WEIRD!
adorei seu blog...beijo

Anaa Bia ;) disse...

Muito lindo esse texto, de verdade ! Me identifiquei. Você escreve bem, com certeza vai ser uma ótima escritora :)

Beeijos ;*

Bell Bastos disse...

Um ótimo feriado pra você também, e tem uma coisinha pra você lá no meu blog, beeijos.

meus instantes e momentos disse...

muito bom,gostei daqui.
maurizio

Luana H. disse...

Sabe que só hj eu li seu perfil e me dei conta que vc tem 13 anos?
Meuuu, vc vai longe. Sério!


Amei esse texto.


Grande Beiiiijo!
Bom carnaval.

' Jαdє Amσrιm disse...

Nossa, muito lindo. O seu texto realmente me involveu!

Adoreeei!


Beijos!

[M]. Cartágenes disse...

Quando tu escrever teu conto, passa um release pra mim?

Falo sério!

Paz aew broto, depois se não for incômodo, passa teu profile de orkut! Té!

Júlia disse...

táis add nos blogs que vou frequentar sempre, escreves bem, preciso de gente assim pra me guiar na jornada de ser jornalista.
bjs querida :*

Aura Sacra Fames disse...

É interessante esse paradoxo sou, mas não vivo!


Desculpe-me pela ausência.
Abraços
aurasacrafames.blogspot.com

indiscreet girl disse...

http://incult-girl.blogspot.com/

passa lá?

Querido Diário Otário disse...

Posso falar oq? Lindo e ponto.
Me lembrou a música do Ira: "um girassol sem sol, um návio sem direção, apenas a lembrança do seu sermão". Adoro.

Beijinhos ;*

A n i n h a a disse...

pela madrugada meniiiiiina que textão foi esse que eu li?
Coisa linda *-*
amei mesmo
e me identifiquei.
Achei os nossos jeitos de escrever muito parecidos e a-mei o "éramos acorrentados um ao outro, que por mais que nos odiássemos nós nos amaríamos para sempre."

disse tudo com essa frase.
Beiijos Luaa

evelynmakovski_cpm disse...

Os olhos, o sorriso, ou ás vezes é só a imagem dele, lá, no branco absoluto que meu coração criou pra repousar todo o amor que eu tenho por ele.

Ah guria. :(

Bill Falcão disse...

Putz, e você só tem 13 anos, hein?
Bjoooooooooo!!!!!!!!!!!!!

Polly disse...

Mas que coisa maaaaaaaaaaaaaaaaaais lindaaaaaaaaa! Arrasou!


(www.pollyok2.zip.net)

clah disse...

Me levou até onde você descreveu (: o texto está uma delícia, parabéns.

(eu tenho uma amiga chamada Lua)

Mary West disse...

Tem gente que passa a vida sem perceber tais sutilezas. Belissímo. :D